Notícias

7ª Conferência Municipal de Saúde reforça luta em nome da Saúde Pública de qualidade

O vereador Clàudio Janta integrou a 7ª edição da conferência, realizada neste fim de semana, para definir diretrizes do município para os eventos estadual e nacional. Uma das preocupações centrais foi a manutenção do Sistema Único de Saúde (SUS) em defesa da universalização do acesso e da qualidade do serviço.

Conferência Municipal de Saúde
O vereador Clàudio Janta integrou a 7ª edição da conferência, realizada neste fim de semana, para definir diretrizes do município para os eventos estadual e nacional. Uma das preocupações centrais foi a manutenção do Sistema Único de Saúde (SUS) em defesa da universalização do acesso e da qualidade do serviço.

Porto Alegre realizou, neste fim de semana, sua 7ª edição da Conferência Municipal de Saúde. Entre os dias 10 e 12 de julho, usuários, gestores, trabalhadores e prestadores de serviços participaram dos painéis, da escolha das propostas da eleição de delegados para a etapa estadual. O vereador Clàudio Janta, do Solidariedade, acompanhou o evento, que, neste ano, colocou em discussão os temas "Saúde Pública de Qualidade para Cuidar Bem das Pessoas – Direito do Povo Brasileiro", "Acesso, Equidade e Integralidade para Cuidar Bem das Pessoas", "Financiamento Público e Relação Público x Privado", "A Participação e a Representatividade do Controle Social no SUS" e "Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde".

É hora da população mostrar que Saúde é prioridade e de buscarmos uma solução para o aporte de recursos do Estado e da União, além de reforçar o combate a uma prática que tem sido cada vez mais incentivada pelos governos, que é a da terceirização, que precariza o trabalho e a prestação dos serviços" avaliou Janta.

Na abertura oficial do evento, o prefeito José Fortunati destacou que, em 2015, completam-se 25 anos da homologação da lei que criou o Sistema Único de Saúde e que também viabilizou as ações do controle social. Ele afirmou que para garantir a municipalização da Saúde é preciso recurso e que "sem financiamento não existe o SUS".

Fortunati enfatizou ainda a necessidade de lutar para que o principal financiador, o governo federal, atualize os valores dos repasses e mantenha um fluxo constante e adequado para que os municípios possam fortalecer sua estrutura de saúde pública. O mesmo foi reiterado pelo secretário Municipal de Saúde, Fernando Ritter, que ressaltou a necessidade de debater novas linhas de ação com a participação de gestores públicos, usuários e prestadores de serviços, sendo preciso ainda reconhecer as dificuldades financeiras da União, mas sem dar chance ao imobilismo.

A conferência foi precedida de oito encontros de trabalho nas regiões das gerências de saúde Sul/Centro-Sul, Glória/Cruzeiro/Cristal, Leste/Nordeste, Centro, Partenon/Lomba do Pinheiro, Restinga/Extremo-Sul, Noroeste/Humaitá/Navegantes/Ilhas e Norte-Eixo Baltazar, que ocorreram aos finais de semana, de março a junho. O relatório da sétima edição da conferência, com as propostas selecionadas pelos participantes, será encaminhado aos conselhos Estadual e Nacional de Saúde.

Com informações PMPA

Comentários