Notícias

Centrais reivindicam retomada da geração de emprego e renda no Brasil

Dirigente da Força Sindical, o vereador Clàudio Janta participou da entrega de manifesto das centrais e da FIESP ao governo federal, visando alternativas para reduzir o desemprego, que atinge 13 milhões de pessoas no país. Documento reforça a necessidade de retomar linhas de crédito para empreendimentos e pessoas físicas, redução de juros, retomada de obras públicas paralisadas, revisão de regras do seguro-desemprego, recuperação de passivos fiscais, dentre outras medidas.

Centrais reivindicam emprego
Dirigente da Força Sindical, o vereador Clàudio Janta participou da entrega de manifesto das centrais e da FIESP ao governo federal, visando alternativas para reduzir o desemprego, que atinge 13 milhões de pessoas no país. Documento reforça a necessidade de retomar linhas de crédito para empreendimentos e pessoas físicas, redução de juros, retomada de obras públicas paralisadas, revisão de regras do seguro-desemprego, recuperação de passivos fiscais, dentre outras medidas.

O vereador Clàudio Janta esteve em Brasília (DF) nesta terça-feira (12), onde acompanhou a reunião de dirigentes sindicais com o presidente Michel Temer, para a discussão de alternativas para o desemprego, que já atinge 13 milhões de brasileiros. As propostas foram elaboradas em conjunto pela Força Sindical, CTB, Nova Central, UGT, CSP e FIESP, que representam mais de 30 milhões de trabalhadores e 2 milhões de empresas no país.

Dirigente da Força Sindical, Clàudio Janta acompanhou a manifestação do presidente nacional da central, Paulinho da Força, que ressaltou que o governo precisa fomentar a economia, baixar os juros e gerar empregos. “Precisamos rever a questão da importação, retomar as obras públicas, investir nas obras paralisadas e implantar a renovação da frota”, reivindicou.

Paulinho ainda reforçou a necessidade de o governo manter e acelerar a queda da taxa de juros, que ainda se encontra em patamar inaceitável. “Facilitar o crédito vai ajudar a fomentar a economia do nosso país”, finalizou.

A reunião com o presidente Temer é resultado do encontro entre empresários e as centrais sindicais realizado em 21 de agosto, na sede da Fiesp, em São Paulo. Na ocasião, foram discutidas medidas de curto prazo para acelerar o processo de retomada do crescimento.

Pontos defendidos no documento

1. Medidas para retomada de crédito:

BNDES - Recolocar o banco em patamar mais elevado de concessões de operações de financiamento, em parceria com bancos federais (BB, Caixa, BNB e Basa), sobretudo para capital de giro.

Crédito às micro e pequenas empresas (MPEs) - Retomada das operações dos bancos públicos federais com as MPEs, tanto da carteira comercial quanto das linhas que usam recursos do FAT.

Crédito ao microempreendedor individual (MEI) - Linha de crédito a custo zero, atrelada a treinamento técnico e de gestão e à adimplência.

Crédito à pessoa física para incentivo ao consumo - Retomada das operações de crédito dos bancos públicos federais para pessoas físicas da carteira comercial.

Habitação - Aumento de concessões de crédito em finaniamento habitacional e no programa Minha Casa, Minha Vida.

Aceleração da queda da Selic - Com inflação controlada, há espaço para redução mais rápida da taxa básica de juros, a Selic.

2. Retomada das obras públicas paralisadas: retomar obras paralisadas nos setores de energia, habitação e transportes, priorizando aquelas com maior potencial de impacto na produtividade, na economia local e no emprego, além das que tenham como fonte de financiamento recursos de fundos não sujeitos a contingenciamento. As obras em concessões paralisadas devem ser retomadas, por meio de repasse da concessão para novo operador ou do destravamento de acordos de leniência.

3. Revisão de normas do seguro-desemprego: rever acesso ao recebimento do seguro-desemprego, com o aumento de 5 para 7 no número de parcelas, devido ao aumento do período médio de recolocação dos desempregados no mercado de trabalho. Rever a DRU para os recursos do FAT, que foi elevada a 30%.

4. Desburocratização: adoção de medidas simples que sejam capazes de facilitar a relação das pessoas e das empresas com os órgãos públicos, contemplando:

5. Recuperação de passivos fiscais: busca de consenso para construção de uma proposta de refinanciamento de impostos atrasados, intermediária entre a proposta do governo (MP 766) e o substitutivo do relator da Comissão Mista do Congresso Nacional.

6. Renovação de veículos e máquinas: programa de renovação da frota de veículos (automóveis, comerciais leves e caminhões) e de máquinas, instrumentos, ferramentas e equipamentos utilizados na indústria.

7. Petróleo e gás: promoção do entendimento entre os agentes da cadeia de petróleo e gás, visando ao cumprimento das normas de conteúdo local de forma a destravar os investimentos do setor e gerar demanda para o segmentos nacionais que têm capacidade de fornecimento com custos e prazos adequados.

Comentários