Notícias

Cosmam debate diagnóstico da Saúde e pressiona por nomeação de servidores

O vereador Clàudio Janta participou da reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam), que discutiu situação de hospitais e unidades de saúde do município. Expectativa é de que projeto que abre novas vagas para técnicos de enfermagem seja protocolado em julho.

Diagnóstico da Saúde na Cosmam
O vereador Clàudio Janta participou da reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam), que discutiu situação de hospitais e unidades de saúde do município. Expectativa é de que projeto que abre novas vagas para técnicos de enfermagem seja protocolado em julho.

Ao lado de servidores que compõem o Núcleo de Saúde do Solidariedade,o vereador Clàudio Janta participou, nesta terça-feira (30/6), de reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam) da Câmara Municipal de Porto Alegre para discutir as visitas e diagnósticos da comissão nos hospitais e unidades de saúde. Foram debatidas as demandas urgentes do setor, como a nomeação de técnicos de enfermagem aprovados no Concurso Público 470, que pode estar mais perto de um desfecho positivo. Até o final da semana o governo deverá indicar a data exata do envio de um projeto para o Legislativo que altera 63 cargos de Auxiliar de Enfermagem para Técnico de Enfermagem, permitindo a ampliação do quadro de servidores, especialmente no Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul (PACS), Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas (HMPV) e Hospital de Pronto Socorro (HPS).

A falta de profissionais foi reclamação constante entre os servidores que participaram da audiência. A enfermeira Rosana Metrangolo, do Solidariedade Saúde, reforçou que a defasagem no quadro do PACS, onde atua, é um dos fatores que comprometem a prestação dos serviços. Segundo ela, além dos episódios de violência vivenciados na unidade da Vila Cruzeiro, a sobrecarga impede o estabelecimento de uma rotina de trabalho entre os servidores, refletindo em demora no atendimento, que já chegou a registrar 22 horas de espera.

Não temos mais como driblar, o que existe é apagar incêndio. Corremos risco de vida todos os dias no PACS, em algum momento um de nós vai ser morto lá dentro. Mesmo com episódios de violência, com a entrada de pacientes armados, não houve investimento em controle de entrada de pessoas, não há segurança” afirmou a enfermeira.

A representante da Secretaria Municipal de Administração, Vanda Allende, reforçou o compromisso com a abertura de 63 vagas para técnicos de enfermagem, cujo projeto deve ser encaminhado ao Legislativo pelo gabinete do vice-prefeito, e com a convocação de aprovados nos concursos 470 e 519 (técnicos e enfermeiros) para a Operação Inverno. O vereador Clàudio Janta afirmou que deve ser pedida prioridade para votar a matéria assim que a Casa receber o projeto.

Janta destacou ainda que a espera não é só dos aprovados, mas, principalmente, da população, que não pode contar com um “sistema que funcione como deveria”. Ele lembrou que o papel das Unidades Básicas de Saúde como “porta de entrada” ao serviço público de saúde não tem sido eficaz, apesar da aprovação de recursos no Plano Plurianual (PPA) e na Lei do Orçamento Anual (LOA) de 2014 e 2015.

Como vereador, garanti diretrizes e recursos, aprovados pelo Legislativo e Executivo, que possibilitassem ampliação do atendimento, mas não é isso que se vê. Postos seguem operando em horário bancário, o que não condiz com o atendimento que deveria ser prestado e com a realidade dos usuários. Dinheiro para isso tem!” pontuou Clàudio Janta, destacando ainda que situação das Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) merecem atenção do governo federal, que apenas entrega as estruturas.

Os servidores da ala de psiquiatria do PACS não só se manifestaram, como também apresentaram alguns dos motivos da apreensão dos funcionários do setor. Facões, tesouras e outros objetos classificados como armas brancas foram apresentados à Comissão pelo auxiliar de enfermagem Luiz Prestes, demonstrando a falta de controle e segurança na Unidade de Saúde. “Precisamos que haja redirecionamento do fluxo e que a secretaria estabeleça uma Política de Saúde Mental, que ainda não existe”, cobrou a servidora Mirian Heldt.

Dentre os encaminhamentos da reunião, ficou firmado o compromisso em dialogar com o governo pelo envio emergencial do projeto que abrirá novas vagas para técnicos de enfermagem. Ficou acertado ainda o agendamento de uma reunião da comissão de servidores com a Secretaria Municipal de Saúde, que não enviou representante à audiência da Cosmam.

Texto: Andréia Sarmanho (reg. prof. 15.592)

Fotos: Ana Cristina Silva

Comentários