#CpiDaTelefonia

CPI da Telefonia ouve o Procon

O Procon de Porto Alegre foi a primeira entidade a ser ouvida na da CPI da Telefonia da Câmara Municipal. Afirmando que o Procon "se tornou um grande call center das empresas de telefonia", a diretora executiva do órgão apresentou dados referentes às reclamações contra as empresas no município, ações empreendidas pelo Procon para a melhoria dos serviços e os resultados obtidos até agora.

CPI da Telefonia
O Procon de Porto Alegre foi a primeira entidade a ser ouvida na da CPI da Telefonia da Câmara Municipal. Afirmando que o Procon "se tornou um grande call center das empresas de telefonia", a diretora executiva do órgão apresentou dados referentes às reclamações contra as empresas no município, ações empreendidas pelo Procon para a melhoria dos serviços e os resultados obtidos até agora.

Segundo os dados apresentados, as empresas de telefonia são as campeãs de reclamações junto ao Procon. Só no período de janeiro a maio deste ano, foram mais de 5,6 mil reclamações registradas pelos porto-alegrenses.

O cidadão de Porto Alegre aprendeu a reclamar, porque ele sabe que se não for atendido, e em muitos casos não é, poderá ter seus direitos defendidos pelo Procon afirmou Flávia.

Sobre as ações promovidas pelo Procon em prol da melhoria dos serviços das operadoras, a diretora expolicou que, em 2012, o Procon entrou com uma medida cautelar que levou à suspensão das vendas de novas linhas por um período. Através da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), uma nova reclamação chegou ao Procon, apontando que não houve melhoria na qualidade dos serviços. As empresas tiveram então de arcar com multas pecuniárias, que acabaram sendo suspensas mediante liminar obtida pelas empresas, e com a contrapropaganda.

A suspensão das vendas teve reflexos econômicos para as empresas e, principalmente midiático. A mídia negativa é o que mais funciona afirmou a diretora do Procon, em relação aos anúncios emitidos para esclarecimento aos consumidores a respeito dos desserviços das empresas.

Cobrança à Anatel

Segundo a representante do Procon, há divergências em relação aos números divulgados pela pesquisa de satisfação recentemente divulgados pela Agência Nacional das Telecomunicações (Anatel). Também foi cobrada atuação mais incisiva da Agência em relação à qualidade dos serviços de telefonia, que, sem solução, seguem "abarrotando os Procons municipais", nas palavras da diretora Flávia.

O vereador e presidente da Comissão, Clàudio Janta, reiterou a responsabilidade da Anatel em intervir no "caos" instalado com a atual situação da telefonia em Porto Alegre. O vereador criticou também a divulgação da implantação do serviço 4G, classificando como "propaganda enganosa".

Esta questão será um dos pontos a ser esclarecido no comparecimento da Anatel, que já tem data definida. A Agência comparecerá ao Legislativo Municipal na próxima reunião da CPI, que ocorre na quinta-feira (13/6), às 9h. Na reunião de hoje, também estiveram presentes o vice-presidente da Comissão, vereador Elizandro Sabino (PTB), e os vereadores Lourdes Sprenger (PMDB), Reginaldo Pujol (DEM), Fernanda Melchionna (PSOL) Delegado Cleiton (PDT), Any Ortiz (PPS), João Carlos Nedel (PP) e Mário Manfro (PSDB).

Comentários