Notícias

Cuthab agiliza negociações para evitar despejo de famílias na Zona Norte

No início da tarde, a Comissão de Urbanismo, Transportes e Habitação (Cuthab) debateu a solicitação dos moradores da vila Jardim Coqueiros, representados na mesa pelo presidente da Associação de Moradores, Inácio Siqueira Arce, e pelo conselheiro do Orçamento Participativo (OP) da região, Ademir Carvalho.

Despejo de famílias na ZN
No início da tarde, a Comissão de Urbanismo, Transportes e Habitação (Cuthab) debateu a solicitação dos moradores da vila Jardim Coqueiros, representados na mesa pelo presidente da Associação de Moradores, Inácio Siqueira Arce, e pelo conselheiro do Orçamento Participativo (OP) da região, Ademir Carvalho.

Conforme os líderes, cinco famílias do Jardim Coqueiros foram notificadas pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMAM), que requer a desocupação da área no curto prazo de 15 dias.

É uma demanda antiga, onde o Condomínio do Conde ergueu um muro de Berlim e isolou os moradores da Jardim Coqueiros. Os moradores ficaram sem saída e foi conseguido um acordo para abrir uma parte do muro. Hoje a SMAM está indo lá e notificando as pessoas moradores das cinco casas posicionadas no traçado do muro, que elas tem que sair, por isso estamos intermediando através do vereador Clàudio Janta uma solução explicou o líder Ademir Carvalho.

Pedindo uma resposta rápida do poder municipal, o vereador Clàudio Janta lembrou que situação já perdura há nove anos e cobrou nova tentativa de diálogo com a SMAM que, mesmo convidada para a reunião, ao lado do Departamento Municipal de Habitação (Demhab) e da Secretaria Municipal de Gestão e Acompanhamento Estratégico (SMGAE), não compareceu. Acatando a solicitação de Janta, a comissão encaminhou a convocação de uma reunião extraordinária para a próxima terça-feira (19/3).

A segunda pauta da reunião

A segunda pauta da reunião trouxe um impasse também relacionado à vila Jardim Coqueiros. Na área onde será executado o projeto habitacional no qual os moradores estão inscritos há mais de 10 anos pelo OP, encontra-se atualmente a ocupação a Terra Nova, onde permanecem 105 famílias.

Conforme o diretor adjunto do Demhab, Marcos Botelho, há um acordo que também contempla as famílias que atualmente residem na área, porém, não houve o cumprimento dos prazos para a desocupação. O porta-voz da comunidade, Paulo Henrique da Silva, declarou que os moradores não possuem condições econômicas para pagar aluguel em outro lugar e pediu solução por intermédio do poder público.

O vereador Clàudio Janta destacou a grande demanda habitacional ainda existente em Porto Alegre e que o empreendimento não deveria ser travado com novas prorrogações.

Precisamos logo de alternativas para acomodar temporariamente estas pessoas que desocuparão a área. É preciso fornecer outra área ou auxiliar com aluguel social estas pessoas frisou, e garantiu vigilância para que nenhuma família seja retirada sem alternativa da Prefeitura Municipal.

Uma nova reunião irá acontecer no dia 21 de março, onde é aguardado o parecer final da Prefeitura, com um prazo, em consenso com o Demhab, para a saída das famílias.

Comentários