Notícias

Dia Nacional de Mobilização e Luta exige cumprimento da pauta trabalhista

Clàudio Janta participou do ato em Porto Alegre junto à Força Sindical. Trabalhadores bloquearam trânsito nas vias de acesso da Capital para chamar a atenção do governo para a pauta trabalhista. Principais reivindicações são o fim do Fator Previdenciário, correção da tabela do Imposto de Renda, rejeição do PL 4330, aprovação da PEC 300, redução da jornada de trabalho para 40h semanais e estatuto do motorista.

Dia de Mobilização e Luta
Clàudio Janta participou do ato em Porto Alegre junto à Força Sindical. Trabalhadores bloquearam trânsito nas vias de acesso da Capital para chamar a atenção do governo para a pauta trabalhista. Principais reivindicações são o fim do Fator Previdenciário, correção da tabela do Imposto de Renda, rejeição do PL 4330, aprovação da PEC 300, redução da jornada de trabalho para 40h semanais e estatuto do motorista.

O ato pelo Dia Nacional de Mobilização e Luta começou cedo em Porto Alegre. Por volta das 5h30, cerca de 500 trabalhadores filiados à Força Sindical já se concentravam na rodoviária intermunicipal, onde bloquearam o trânsito nas principais vias de acesso da capital gaúcha. Após trancarem o cruzamento da Rua Conceição, os militantes bloquearam a Avenida Mauá, Castelo Branco e Farrapos, por cerca de três horas.

O sindicalista e vereador Clàudio Janta, que preside a central no estado, acompanhou o ato e destacou a importância da agenda do Movimento Sindical para a classe trabalhadora e também para o desenvolvimento do Brasil.

A população, em sua grande maioria, entendeu que o protesto é pelo fim do fator previdenciário, isenção de R$ 6 mil de isenção no Imposto de Renda, 10% do orçamento geral da União para a Saúde, jornada de trabalho de 40 horas semanais (sem redução de salários), não ao projeto de terceirização, PEC 300, e em apoio estatuto do motorista. Essa é uma luta digna e de todos trabalhadores" declarou.

Em seu pronunciamento ao final do ato, Janta destacou que mobilização continua e que na próxima semana os trabalhadores marcarão presença em Brasília para definir rumos do projeto de regulamentação da terceirização.

No dia 11 (de julho) paramos a cidade e mostramos nossa força. Hoje, mostramos que seguimos mobilizados" declarou Janta, garantindo que classe continuará pressionando até diálogo com o governo federal.

Comentários