Notícias

Janta condena difamação sofrida por opositores do governo federal

Na tribuna, o sindicalista e vereador condenou difamação dos partidos e parlamentares de oposição, comentando os ataques midiáticos sofridos pelo seu partido, o Solidariedade. Ele também reforçou a posição em favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Oposição difamada
Na tribuna, o sindicalista e vereador condenou difamação dos partidos e parlamentares de oposição, comentando os ataques midiáticos sofridos pelo seu partido, o Solidariedade. Ele também reforçou a posição em favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O vereador Clàudio Janta, do Solidariedade, manifestou-se na tribuna, durante a sessão legislativa desta segunda-feira (14/12), em relação aos "ataques" sofridos pelo seu partido e, em especial, pelo presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, "que vem suportando as denúncias vazias da imprensa golpista". Para o vereador, a ação é "sustentada muitas vezes pelo governo", que estabelece um "regime de difamação da oposição".

Agora, nos pintam até como símbolo de máfia, de quadrilha em atuação na política brasileira. Nos acusam de termos recebido dinheiro para acabar com greves. Mas nós viemos para a política para representar os direitos dos trabalhadores e só acabamos com greves quando direitos são garantidos e reivindicações alcançadas, ao contrário do que tem feito o governo federal" afirmou o vereador.

Ele relembrou as "traições" do governo Dilma aos trabalhadores, citando episódios como as Medidas Provisórias que excluem milhares de trabalhadores de benefícios sociais, o veto ao reajuste dos aposentados, o Pacote de Maldades e a política econômica "que dá cada vez mais dinheiro para os banqueiros". Também reforçou que as traições passam pela corrupção, que rende manchetes diariamente, com novas intimações e contínuos episódios de escândalos.

Muitos estão pregando que o ex-presidente Lula tem que voltar. Acho que tem que voltar, mas para empregar os 420 mil trabalhadores de bingo, explicar sobre os milhões negociados pelo BNDES, dizer onde está o dinheiro do fundo de pensão. Acho que tem que voltar para explicar muita coisa para o povo brasileiro" completou.

Impeachment

Completando a manifestação na tribuna, o vereador frisou que a defesa do Impeachment da presidente não se trata de "golpe", mas de um rito previsto por lei específica, "parte da democracia e que pode acontecer também nas casas legislativas".

Quem mente, não está apto a manter-se no exercício do cargo. A presidente Dilma mentiu, quando disse que não mexeria nos direitos dos trabalhadores, que não subiriam impostos e tarifas. Hoje temos contas altíssimas, 9 milhões de trabalhadores desempregados, déficit na previdência. Mentiu, tem que sair. E não adianta ficar acusando os opositores e o voto dos opositores, porque nós sabemos o nosso lado. O nosso lado é o dos trabalhadores, da geração de emprego e renda, do desenvolvimento do país" concluiu.

Comentários