Notícias

Janta defende fortalecimento do movimento sindical em seminário sobre custeio

Evento é promovido pela Força Sindical, e vai desta quinta-feira (20/3) até o próximo sábado (22/3), na cidade de Florianópolis. Sindicalistas da região sul do Brasil e dirigentes nacionais da central debatem os aspectos políticos e jurídicos do custeio dos sindicatos.

Custeio dos sindicatos
Evento é promovido pela Força Sindical, e vai desta quinta-feira (20/3) até o próximo sábado (22/3), na cidade de Florianópolis. Sindicalistas da região sul do Brasil e dirigentes nacionais da central debatem os aspectos políticos e jurídicos do custeio dos sindicatos.

Presidente licenciado da Força Sindical-RS, o sindicalista e vereador Clàudio Janta, compôs a mesa de abertura do evento, onde destacou que o momento é um dos mais importantes para a história do movimento sindical. Para ele, é preciso estabelecer diretrizes para manter as entidades.

Temos que estabelecer critérios que existam em todos os setores econômicos que nós representamos. O movimento sindical também tem que começar a trabalhar em cima da produtividade e ter o seu custeio proporcional às ações de desempenha e aos avanços conquistados" avaliou.

Janta também destacou que momento é de alerta para os trabalhadores.

Se acabarem com o movimento sindical, como querem, vamos ter no Brasil o reflexo que se abate nos outros países onde não existe representação classista forte como a nossa. Precisamos do dinheiro dos trabalhadores e não podemos ter vergonha de dizer isso, porque existimos para representá-los. Não temos que ter vergonha de arrecadar este dinheiro, mas temos que ter responsabilidade ao usá-lo" afirmou.

O sindicalista também destacou que devem ser estudadas as próximas ações dos trabalhadores, para eventual negociação com o Ministério Público, propostas em conjunto com as demais centrais sindicais ou até mesmo elaboração de instrumentos legais como projetos de lei que versem sobre o tema.

Mais de 90% dos sindicatos são eficientes na luta pelas categorias que representam. Não podemos nos deixar nivelar pelos 10% que não merecem representar os trabalhadores" concluiu.

Também compuseram a mesa de abertura do evento o presidente nacional da central, Miguel Torres, o vice-presidente da Força Sindical-SC, Miguel Padilha, Alfani Alves, dirigente da Força Sindical-PR; Maria Roseli Beuting, dirigente nacional do Sindinapi e Geraldino Silva, secretário de Relações Sindicais da Força Sindical.

Comentários