Notícias

Janta reafirma importância da mobilização e unidade dos comerciários em Quaraí

Clàudio Janta, que é presidente estadual da Força Sindical, esteve em visita ao Sindicato dos Empregados no Comércio de Quaraí na manhã da última terça-feira (1º/10). Janta foi recebido pela diretoria e cumprimentou o presidente Dionísio Mazui pela passagem dos 31 anos de fundação da entidade, atuante nas lutas encampadas pela central e também pela Federação dos Comerciários da Força Sindical, a Fetracos.

Janta visita Sindec-Quaraí
Clàudio Janta, que é presidente estadual da Força Sindical, esteve em visita ao Sindicato dos Empregados no Comércio de Quaraí na manhã da última terça-feira (1º/10). Janta foi recebido pela diretoria e cumprimentou o presidente Dionísio Mazui pela passagem dos 31 anos de fundação da entidade, atuante nas lutas encampadas pela central e também pela Federação dos Comerciários da Força Sindical, a Fetracos.

Durante a visita, Janta destacou a importância do Sindicato dos Comerciários de Quaraí para o desenvolvimento da própria central e da representatividade da categoria no município.

Viemos trazer nosso apoio e a solidariedade de todos os filiados da Força Sindical a esta entidade, desejar vida longa ao sindicato, à diretoria e, principalmente, a quem compõe o sindicato, que faz com que ele exista, que são os comerciários de Quaraí" declarou Janta.

O presidente Dionísio Mazui salientou o papel do sindicato, nestes 31 anos, como ferramenta de luta da categoria pela promoção da melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores. O dirigente afirmou ainda que os comerciários de Quaraí estão integrados na luta pela agenda trabalhista nacional do movimento sindical e que o foco agora é o combate à terceirização.

"Vemos que o mundo avança tecnologicamente, mas as relações laborais são precarizadas. O maior exemplo disso é o PL 4330, em discussão no Congresso Nacional", afirmou Mazui, a respeito do projeto que avaliza a terceirização relacionada à atividade-fim das empresas, colocando em risco o emprego de mais de 45 milhões de trabalhadores formais no Brasil.

A importância da atuação conjunta do sindicato com a central e da organização sindical como instrumento de luta de classe, também foram destacadas por Mazui durante o encontro. "Sempre que houver a luta entre o capital e o trabalho, o sindicato continuará se constituindo como a melhor ferramenta em defesa dos trabalhadores e em busca da melhoria das condições de vida e de trabalho", pontuou o dirigente.

Comentários