Notícias

Moradores da Restinga defendem permanência de unidade do Senai no bairro

Manifestando-se pela continuação das atividades na Restinga, moradores compareceram a reunião da Cedecondh em busca de alternativas que impeçam o fechamento da unidade.

Senai na Restinga
Manifestando-se pela continuação das atividades na Restinga, moradores compareceram a reunião da Cedecondh em busca de alternativas que impeçam o fechamento da unidade.

O vereador Clàudio Janta participou da reunião da Comissão de Defesa do Consumidor, Direitos Humanos e Segurança Urbana (Cedecondh), realizada nesta terça-feira (12/7), junto aos moradores da Restinga, que reivindicam manutenção da unidade do Senai no bairro. A reunião contou com a presença de representantes do Senai e do poder Executivo.

Criado em 1976, o Senai Restinga atende 80 alunos por ano possibilitando formação profissional aos jovens do bairro e é uma parceria entre o Senai e a Prefeitura. A escola oferece gratuitamente os cursos de manutenção elétrica, básico em madeira e mobiliário e eletricista instalador predial.

A ameça de fechamento se deve à necessidade de adequação do prédio, cedido pela prefeitura, às normas de acessibilidade e ao Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio (PPCI). O custo para as reformas é de R$ 480 mil e o impasse está em quem irá arcar com as despesas.

Segundo o diretor regional e membro do Conselho Regional do Senai-RS, Carlos Trein, a instituição não teria condições financeiras para realizar as mudanças e alguns dos 148 centros do Rio Grande do Sul seriam realocados ou fechados, de acordo com as demandas e necessidades de cada região. No entanto, devido às reivindicações da comunidade, o diretor afirmou que “o Senai Restinga permanece aberto se forem realizadas as adequações legais”.

Em defesa da solicitação dos moradores, o vereador Clàudio Janta considerou que a continuidade das atividades no local significa garantia de cidadania e de perspectivas para os moradores.

Esse trabalho precisa continuar e é obrigação do Município assegurar isso e do Senai, enquanto integrante do Sistema S, que é financiado pelos trabalhadores e pelo governo e que tem a obrigação e a responsabilidade social de prover qualificação, especialmente onde as pessoas mais precisam" avaliou.

A Restinga, localizada no extremo sul da cidade, possui cerca de 150 mil moradores distribuídos em 28 vilas. O professor Jaime Morticelli, que lecionou durante 36 anos no Senai Restinga, confirma que a escola é muito importante, pois “nós conseguimos resgatar muitos jovens”. O empreendedor Jeferson Carvalho afirmou ter “muito orgulho de dizer que foi formado pelo Senai” e atribuiu todas as suas conquistas à instituição, que “proporciona muitos exemplos de sucesso”.

Representando o Executivo municipal, o secretário municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic), Antonio Kleber de Paula, falou que a secretaria não possui verba no orçamento de 2016 para realizar as mudanças e sugeriu que este problema seja levado até o Gabinete do Prefeito para buscar alternativas. A secretária de Trabalho e Emprego, Angela Oetinger, destacou a importância do centro, pois “falta qualificação dos trabalhadores”.

Com informações CMPA

Comentários