Notícias

"Negar atendimento à criança pela ideologia dos pais é desumano", avalia Clàudio Janta

Moção em repúdio à pediatra Maria Dolores Bressan, que se negou a continuar atendendo o filho da vereadora suplente Ariane Leitão, por ela ser filiada ao PT, foi aprovada pela Câmara Municipal de Porto Alegre. Documento também repudia posição do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), que apoiou a atitude da médica.

Repúdio a pediatra e ao Simers
Moção em repúdio à pediatra Maria Dolores Bressan, que se negou a continuar atendendo o filho da vereadora suplente Ariane Leitão, por ela ser filiada ao PT, foi aprovada pela Câmara Municipal de Porto Alegre. Documento também repudia posição do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), que apoiou a atitude da médica.

Foi aprovada, nesta quarta-feira (13/4), uma moção que manifesta o repúdio da Câmara Municipal de Porto Alegre em relação à atitude da médica que se recusou a continuar atendendo uma criança de um ano de idade, em função da posição ideológica e filiação partidária da mãe, a vereadora suplente Ariane Leitão, do PT. Em nome do Solidariedade, o vereador Clàudio Janta defendeu a aprovação do documento e classificou como "desumana" a atitude da pediatra.

No Solidariedade fazemos nacionalmente uma oposição ferrenha ao PT, mas jamais passou pelas nossas cabeças praticar uma política de ódio e muito menos uma política onde um inocente, como uma criança de um ano de idade, passasse a ser vítima" declarou o vereador.

A moção de repúdio foi aprovada por dez votos a nove, registrando quatro abstenções.O documento será encaminhado à médica pediatra Maria Dolores Bressan e ao Sindicato Médico do Rio Grande o Sul (Simers), também citado por ter manifestado apoio "à atitude preconceituosa e intolerante da médica" através da fala de seu presidente, Paulo de Argolo Mendes.

Comentários