Notícias

Projeto de revitalização do 4º distrito deverá ser discutido pela Câmara em 2017

O desafio, sob a perspectiva das cidades inteligentes, é colocar a estrutura da região, hoje subutilizada, à serviço das pessoas, aliando a valorização do patrimônio histórico às novas estruturas, de moradia social, empreendimentos e polos educacionais.

Revitalização do 4º distrito
O desafio, sob a perspectiva das cidades inteligentes, é colocar a estrutura da região, hoje subutilizada, à serviço das pessoas, aliando a valorização do patrimônio histórico às novas estruturas, de moradia social, empreendimentos e polos educacionais.

O vereador Clàudio Janta acompanhou, na manhã desta segunda-feira (28/11), uma reunião dedicada a discutir o projeto de revitalização do 4º distrito, como é conhecido o antigo polo industrial situado entre a região central e a zona Norte de Porto Alegre, que engloba os bairros Floresta, Navegantes, São Geraldo, Humaitá e Farrapos. Atualmente degradada e à margem dos processos de urbanização, a área é objeto de um projeto de revitalização aos moldes do implementado em Barcelona, na Espanha.

A iniciativa, que envolve a simulação de cada quadra situada na área do 4º distrito, foi apresentada pelo professor da UFRGS, Dr. Benamy Turkienicz. Segundo ele, é necessária uma "intervenção cirúrgica" na área, que tem uma população de cerca de 28 mil pessoas, levando em consideração o potencial construtivo e o patrimônio histórico local.

Os planos diretores até agora foram muito genéricos, com parâmetros que as vezes não servem para nivelar o novo ao antigo, criando "escadinhas" que não são benéficas para a cidade. Temos um desperdício de estrutura monumental no 4º distrito, onde a cidade está ofertando uma infraestrutura e não está tendo aproveitamento - a luz fica ligada, o lixo é coletado, para uma população cinco vezes menor" avaliou o professor, destacando que a racionalização de recursos e investimentos públicos é um dos pilares do conceito das Cidades Inteligentes (Smart Cities).

A favelização na região foi outro problema apontado por Turkienicz. Moradias populares como a Vila dos Papeleiros evidenciariam uma abordagem equivocada, do ponto de vista urbanístico, afastando-se também do ideal original da promoção de justiça social.

Moradia social não precisa ser feia e precisa estar integrada com a malha urbana para não ser transformada em prerrogativa para guetos. Acabam sendo formadas áreas de favelização e temos a iminência de que o urbanismo se converta para um patamar de coisas que, socialmente, não seriam recomendadas" considerou.

Uma das apostas para o processo de revitalização da região envolve a atração de instituições de ensino. Segundo o professor, as instalações de universidades concentram um grande volume de pessoas no entorno, "atraindo para uma área degradada uma faixa cultural importante, que acaba por revitalizar esses espaços". Um exemplo no Brasil é o loteamento Pedra Branca, em Palhoça (SC), onde houve doação de uma área para a Unisul, que impulsionou o desenvolvimento do espaço urbano.

Em Porto Alegre, o vereador Clàudio Janta lembrou que processo semelhante acabou frustrado no Cristal, na zona Sul, em função da destinação das contrapartidas dos empreendimentos para o Caixa Único. Segundo Turkienicz, a revitalização do 4º distrito deverá envolver operações consorciadas e parcerias público-privadas (PPPs). A discussão efetiva do projeto Câmara Municipal deverá acontecer a partir do próximo ano.

Texto: Andréia Sarmanho (reg. prof. 15.592)

Foto: Ana Cristina Silva

Comentários