Notícias

Rejeitada proposta que restringia circulação de veículos e ameaçava comércio do Centro

O vereador Clàudio Janta se opôs à proposta que restringia circulação de veículos no centro de Porto Alegre, ameaçando afetar comércio do bairro. O projeto acabou sendo rejeitado pela maioria do plenário nesta quarta-feira (4/11).

Comércio garantido
O vereador Clàudio Janta se opôs à proposta que restringia circulação de veículos no centro de Porto Alegre, ameaçando afetar comércio do bairro. O projeto acabou sendo rejeitado pela maioria do plenário nesta quarta-feira (4/11).

Na tarde desta quarta-feira (4/11), o plenário da Câmara Municipal de Porto Alegre rejeitou por maioria de votos o projeto que visava instituir área de restrição ao trânsito de veículos automotores na região central de Porto Alegre. Para o vereador Clàudio Janta, que se opôs à iniciativa, o projeto acabava por favorecer os shopping centers de Porto Alegre, configurando mais uma barreira ao comércio do bairro, que deixaria de ser acessado pelos veículos.

Devemos reprovar todas as emendas e o projeto, deixar o Centro de Porto Alegre se recuperar. Nosso Centro só será plenamente devolvido à população se o comércio estiver pujante, com vida e movimento na Salgado Filho, Borges de Medeiros e Dr. Flores" exemplificou o vereador.

O projeto

A medida prevista no Projeto de Lei 302/13, do vereador Marcelo Sgarbossa, determinava área de restrição ao tráfego veicular no interior do quadrante delimitado pelas seguintes ruas Caldas Júnior, Siqueira Campos, Dr. Flores, Gen. Andrade Neves, Gen. Câmara, Andradas e avenidas Senador Salgado Filho e Júlio de Castilhos.

Nesta região, onde pulsa o pequeno comércio da nossa cidade, temos mais de 100 mil trabalhadores. Se acabarmos com a possibilidade de estacionar próximo a essas lojas, será mais uma mazela a ser enfrentada pelo pequeno comerciante. Loja de rua não tem banheiro para oferecer ao cliente, ou um segurança. O Shopping sim, já sai ganhando" destacou o vereador Clàudio Janta.

O parlamentar reforçou que na região também existem creches, clínicas médicas e odontológicas, se fazendo necessário o transporte dos usuários, e reforçou que é preciso direcionar esforços para solucionar questões de mobilidade, não apenas restringir a circulação dos veículos.

Comentários