Notícias

Rodoviários defendem manutenção do segundo tripulante no transporte coletivo

O vereador Clàudio Janta participou de reunião com representantes da categoria nesta terça-feira.

Segundo tripulante em debate
O vereador Clàudio Janta participou de reunião com representantes da categoria nesta terça-feira.

O projeto de Lei do Executivo que propõe a dispensa da função de cobrador no transporte público coletivo de Porto Alegre foi discutido na Câmara Municipal de Porto Alegre em reunião na manhã desta terça-feira (8). Representantes da categoria, dirigentes do Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre (Stetpoa) e o presidente em exercício da Força Sindical Marcelo Furtado, foram recebidos pelo vereador Clàudio Janta e pelo presidente do Legislativo, vereador Cássio Trogildo, que confirmaram a suspensão da tramitação do projeto.

Além da preocupação em relação ao impacto da proposta nos postos de trabalho, os rodoviários reforçaram que a permanência do segundo tripulante é indispensável para o funcionamento do serviço. A importância da função social inerente à atividade do cobrador foi reafirmada pelo vereador Clàudio Janta.

A função do cobrador não é restrita ao controle da bilhetagem, sabemos que ele desempenha uma série de funções no auxílio aos passageiros e ao condutor. Se existe sinalização para que não se fale com o motorista, é porque ele precisa dedicar toda a sua atenção ao trânsito. Independente do nome dado à função, há necessidade de que haja esse segundo tripulante" avaliou o vereador.

Ele comunicou que a comissão especial dedicada a debater as matérias abordadas pelos projetos do Executivo entrará em funcionamento ainda neste mês e que os trabalhadores deverão integrar as discussões, que envolverão outros temas, como as isenções e o valor da tarifa. Também está prevista a realização de uma audiência pública para tratar do tema.

Tramitação suspensa

Durante a sessão ordinária da última segunda-feira (7/8), o vereador Clàudio Janta entregou à presidência da Câmara Municipal, um documento solicitando oficialmente, em nome do governo municipal, a suspensão da tramitação dos projetos do Executivo referentes a mudanças no Sistema de Transporte Público Municipal. Os projetos deixarão de tramitar pelo período de 120 dias, que deve ser o prazo para o funcionamento da comissão especial a ser instalada na Casa.

Texto: Andréia Sarmanho (reg. prof. 15.592)

Foto: Tonico Alvares (CMPA)

Comentários