Notícias

"Trabalhadores não vão pagar, nem que a vaca tussa", afirma Janta, sobre medidas do governo

O sindicalista e vereador Clàudio Janta participou, em nome da Força Sindical, de tribuna popular na Assembleia Legislativa do Estado, onde condenou penalização dos trabalhadores nas políticas de redução de custos. Entraves para o desenvolvimento na Faixa de Fronteira e no Bioma Pampa também foram destacados na participação da central.

Janta representa Força na AL
O sindicalista e vereador Clàudio Janta participou, em nome da Força Sindical, de tribuna popular na Assembleia Legislativa do Estado, onde condenou penalização dos trabalhadores nas políticas de redução de custos. Entraves para o desenvolvimento na Faixa de Fronteira e no Bioma Pampa também foram destacados na participação da central.

O vereador Clàudio Janta ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa durante a tarde desta quinta-feira (5/2). Em nome da Força Sindical, Janta manifestou-se sobre temas pertinentes à pauta dos trabalhadores, como a luta contra a alta carga tributária, e em relação a entraves para o desenvolvimento do Estado, como a legislação da Faixa de Fronteira e do Bioma Pampa.

O sindicalista e vereador frisou a participação do parlamento gaúcho nos debates promovidos pela central sindical em relação aos temas e reforçou o convite para o próximo seminário Faixa de Fronteira, que acontece nos dias 9 e 10 de abril, na cidade de São Borja, na fronteira com a Argentina.

Trata-se de uma lei que tira investimentos do nosso estado em regiões que carecem de fomento ao desenvolvimento. Avançamos nos últimos anos e tenho certeza de que em breve conseguiremos acabar com essa famigerada faixa de exclusão" avaliou.

O Bioma Pampa, outro tema abordado anualmente em conferência da Força Sindical, também foi destacado. Janta afirmou que, assim como a Faixa de Fronteira, representa uma área significativa, cuja legislação ambiental interfere seriamente no desenvolvimento do estado.

Nem que a vaca tussa

Sobre as contenções de custos divulgadas pelos governos, Janta manifestou apoio ao corte de despesas anunciado pelo governador José Ivo Sartori, mas destacou que os trabalhadores não podem pagar a conta, "nem que a vaca tussa", de arcar com o prejuízo de que "mamou na vaca", fazendo menção ao dinheiro aplicado no sistema financeiro e os desvios da corrupção.

O trabalhador é quem sempre paga, a exemplo do imposto de renda, que o trabalhador que ganha R$ 1.700 é taxado em 7,5%. E estão tirando os nossos direitos, estão mexendo no seguro-desemprego, estão bancando os empréstimos milionários do BNDES com o fundo dos trabalhadores e agora cobram de nós essa conta" criticou.

Ao encerrar, manifestou o agradecimento da central por estrear a tribuna popular da Assembleia gaúcha na legislatura de 2015 e reafirmou o compromisso da Força Sindical com a classe trabalhadora do estado.

Comentários