Notícias

Frente Parlamentar: Claudio Janta acolhe demandas do Instituto Autismo & Vida

Discussão dos Agentes de Educação Especial e sensibilização dos profissionais no setor público serão encaminhadas pelo vereador.

Frente do Autismo
Discussão dos Agentes de Educação Especial e sensibilização dos profissionais no setor público serão encaminhadas pelo vereador.

Capacitar e sensibilizar a sociedade e os agentes públicos para a existência e para as necessidades em torno do espectro autista foram temas centrais da terceira reunião da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos do Autista nesta terça-feira (21), na Câmara Municipal de Porto Alegre. Conduzido pelo vereador Claudio Janta (Solidariedade), o encontro contou com a participação do Instituto Autismo e Vida - uma das ONGs mais representativas do autismo no Estado.

Explicando as quatro frentes prioritárias de atuação do instituto - defesa de direitos, disseminação de conhecimento, conscientização e apoio às famílias - a diretora presidente Ana Paula Kohlmann relatou que o trabalho de sensibilização em torno da causa é ostensivo e contínuo. Além das atividades públicas como as pedaladas e caminhadas que mobilizam para a causa, o Autismo e Vida dedica-se à qualificação e formação de profissionais nas escolas e em diversos tipos de estabelecimentos. "Conquistamos o apoio de entidades que promovem suas próprias campanhas de conscientização do autismo no comércio e em outros segmentos", enfatizou, citando trabalhos realizados junto a empresas, restaurantes e shopping centers.

Em relação às famílias, além do apoio, o trabalho da entidade também preocupa-se com a garantia de informação, tanto para assegurar o acesso a direitos, quanto estimular novas frentes. "Pais estão recebendo informações muito diferentes - alguns estão muito carentes, outros bem empoderados. Alguns se fortalecem tanto que apresentam novas possibilidades, capazes de colaborar com o todo", salienta a diretora executiva Marilene Symanski.

Demandas

Apesar de avaliarem a base legal em relação ao autismo como satisfatória, as dirigentes do instituto apresentaram demandas. Na educação, os principais gargalos são em relação a formação, uma vez que apesar de o ensino regular garantir a oferta de vagas, não garante a capacitação dos profissionais para lidarem com o autista e o Agente de Educação Especial, cujo papel ainda diverge com a necessidade de capacitação do educador.

Na saúde, a reivindicação é por estratégias para o diagnóstico e sensibilização de todos os profissionais, além do amparo a tratamentos necessários. Outras questões levantadas foram no âmbito da assistência social, preparação para o mercado de trabalho, espaços de convívio, moradia assistida e o mapeamento dos casos de autismo, que deverá ser encaminhado pelo Censo de Inclusão.

Encaminhamentos

Comprometendo-se em buscar o encaminhamento imediato de dois pontos específicos, o vereador Claudio Janta deverá protocolar iniciativas em prol da regulamentação dos agentes de educação especial e da capacitação dos servidores públicos em áreas como saúde, educação, assistência social e segurança pública. "A lei é um instrumento que obriga um encaminhamento específico. Do contrário, a sociedade fica no aguardo de uma ação do poder Executivo, não sucedendo, algumas vezes, de acordo com o que é demandado", defendeu o vereador, que deverá submeter um projeto de lei e uma indicação ao poder Executivo.

Comentários